Yoga qual a melhor opção? – saiba por onde começar para escolher

//Yoga qual a melhor opção? – saiba por onde começar para escolher

Yoga qual a melhor opção? – saiba por onde começar para escolher

Yoga – qual a melhor opção?

O Yoga tem muitas opções de modalidades, muitas ofertas de lugares, e, ainda formatos. Além das diferentes técnicas, podemos optar por academias, studios especializados, aulas particulares ou on-line. Diante de tantas dúvidas não conseguimos definir uma estratégia sobre o que vai encaixar perfeitamente com o que estamos buscando.

Como escolher onde praticar?

Avalie sua necessidade de obter o melhor da prática, que é encontrar um momento especial em que você vai se aprofundar em si mesmo. Busque qualidade e dê preferências a instituições e profissionais especializados na técnica.

A prática pode ser presencial ou on-line e até mesmo um combinação de ambas pode te trazer benefícios. Praticar on-line pode te trazer mais constância e baratear custos. A prática presencial conta com o benefício do ajuste manual. Existem também os vídeos e apps prontos e as transmissões. Lembre-se de que não é possível receber correções nesses formatos.

Como escolher uma modalidade?

Comece pesquisando sobre as modalidades, leia sobre elas e veja o que pode te interessar. Aqui no blog, vou postar um resumo do material do curso de formação explicando todas elas.

É importante lembrar que algumas seguem uma linha mais tradicional e por vezes estão vinculadas a determinadas instituições com intuitos mais ligados à devoção (ou bhakti). Outras, criam suas próprias vertentes de combinações de técnicas. Essas podem, ainda, seguir estudos mais tradicionais ou mesmo fazerem releituras da prática, o que eu chamaria de uma visão contemporânea.

Mas final, como fazer para escolher uma modalidade? Para isso, gostaria de expor  duas questões e relativizá-las: uma refere gosto e outra refere o preparo físico.

Uma questão de gosto?

Se eu sou uma pessoa super ativa, um tanto ansiosa, acostumada a fazer exercício e que não consegue conceber a ideia de sentar e respirar, possivelmente práticas como Ashtanga Yoga e Vinyasa Yoga são as que me agradarão mais.

Se sinto muitas dores, sou excessivamente sedentárix e até meio preguiçosx vou curtir uma prática mas restaurativa. Posso tentar uma prática mais lenta e com foco em permanência como o Hatha Yoga ou Yiengar Yoga, ou uma prática mais terapêutica como a Restaurativa, Yin Yoga ou Yoga Somática

Se a sua busca é mais pro lado da questão holística, de manipulações energéticas, técnicas de devoção e comunidade, poderias curtir o Tantra Yoga. Se adoro novidades, criatividade, não tenho muito saco pra me apegar no mínimo detalhe ou de seguir à risca o que manda a tradição e tenho aqueles sonho guardado de ter feito circo, Aerial Yoga e Acro Yoga são opções pra mim.

Relativizando preferências

Contudo, sobre a questão do gosto, um dos trabalhos do yoga também é nos colocar no desafio de trabalharmos onde precisamos e não somente onde gostamos. Por exemplo, em sendo uma pessoa aceleradx, talvez uma prática mais lenta seja o lugar onde tenho que me colocar.

No entanto, se estamos começando, pode mesmo ser melhor optar por algo que vá te fazer sentir bem com a prática.  Assim, você não arrisca sair correndo porque odiou a opção que você fez. Talvez uma boa alternativa seja se dispor a experimentar e, em alguns casos, a vencer medos.

Uma prática para todos os corpos

Sobre a questão do suposto preparo físico e do julgamento que fazemos de nós mesmos em relação ao nível de prática que temos, ao subirmos no tapetinho podemos nos surpreender. Toda prática tem seus desafios e, da mesma forma, possibilidades de adaptação.

Quando está fluido, non stop ou acelerado demais pra você, sempre é possível parar em uma postura de descanso até que consiga alcançar o ritmo da turma. Quando não tens a flexibilidade que pensas ser necessária para aprofundar uma postura, sempre temos os utensílios (bloco, cinto, bolster) que te ajudam a chegar no lugar certo para você.

Ao pensar você tem preparo com outras atividades e parece que vai ser fácil demais, podes descobrir que existem músculos que você nunca soube (ou sentiu) que existiam. Ao pensar que alguma técnica é impossível pra você possui porque tem lesões, verá que o professor irá te auxiliar a fazer adaptações pra lidar com elas.

Seu coração é o seu guia

E aí chegamos num ponto interessante. Possivelmente o mais importante é você escolher um professor, um local ou uma instituição que sejam autoridades no assunto. É importante também que tenham um discurso com o qual você se identifica, pois é o que vai te guiar nesse caminho e . Sendo assim, comece verificando qual horário está sendo disponibilizado por esta sua escolha e que seja compatível com o seu. Depois disso, sim, se tiver mais de uma opção, tente experimentá-las.

Tendo a entender que a melhor opção é poder combinar as diferentes técnicas. Cada uma vai te dar um benefício e trabalhar uma parte do desafio. Ainda, se praticares todos os dias, o que é o mais indiciado, é interessante variar. Assim podes intercalar práticas mais restaurativa com outras mais desafiadoras.

Por isso, busque uma pessoa que estudou amplamente o universo do Yoga, ela provavelmente deve trazer elementos de todas as técnicas para alimentar suas aulas. Daí em diante é uma questão de escolha. Já que o Yoga trata acima de tudo da experiência de cada um, não hesite em ter sua a própria para tomar essa decisão. O mais importante é você escolher a prática que tocar o seu coração.

Autor(a):

Deixe um comentário

WhatsApp chat